Progressiva ou depressiva ?

Progressiva ou depressiva? Por qual destas você busca?

via GIPHY

Nos ultimos anos, verificamos uma enxurrada de tratamentos chamados de “escova progressiva”.
Com o intuito de ficar cada vez mais apresentável gastando o mínimo de tempo, buscávamos soluções que rapidamente se espalhavam pelos vídeos e blogs na Internet.
Os cabelos ficavam todos iguais independente da estrutura capilar,  do tipo físico e da idade.

Qual o preço?

Apesar das diversas alergias,  quedas  de cabelo e queimaduras existem pessoas que ainda entram nos salões  beleza buscando “progressiva”.
Outras pessoas buscam realizar este serviço em suas residências.

Você continua lendo sobre as “depressivas”?

Você que está lendo deseja algo a mais:
orientação.
Para você, digo o seguinte: nenhuma empresa tradicional e com recursos nacionais e internacionais colocou no mercado um tratamento com nome de “escova progressiva”.

Então como devemos nos comunicar com os cabeleireiros?

Devemos perguntar qual tratamento resolve o motivo da nossa  insatisfação.  Não devemos utilizar os nomes genéricos.
Podemos também buscar informação com os fabricantes de produtos profissionais através dos canais de mídia disponíveis para saber qual o tratamento indicado para resolver a nossa insatisfação.

Existem empresas que não testam seus produtos em animais, que reaproveitam a água no processo,  que valorizam a saúde de seus funcionários.

Como abandonar a “depressiva”?

Diga para si mesma: BASTA!

O que posso fazer?

Use faixas ou faça escova até que o seu cabelo cresça.
Modifique seu corte de cabelo ou faça um corte a cada 40 dias para que, aos poucos você se acostume.
Se conhece alguém que fez uma escova “depressiva“, compartilhe este texto.
Aqui na loja eu uso a escova K Liss

Comentário do Facebook

Um comentário em “Progressiva ou depressiva ?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *